UOL Notícias Notícias
 

05/03/2010 - 11h27

Vaticano acompanha denúncias de pedofilia na Alemanha; Papa se reunirá com bispo

ANSA
CIDADE DO VATICANO, 5 MAR (ANSA) - A Santa Sé está acompanhando com atenção as denúncias de pedofilia na Alemanha, que vieram à tona no início deste ano e que são vistas "com muita seriedade", informou hoje a sala de imprensa do Vaticano.

A Igreja Católica do país europeu enfrenta denúncias de abusos sexuais cometidos nas décadas de 1970 e 1980 em escolas jesuítas locais. Os crimes, que já somam 120 casos, teriam sido perpetrados por religiosos, sacerdotes e colaboradores leigos.

De acordo com o vice-diretor da sala de imprensa da Santa Sé, padre Ciro Benedettini, chegou ao Vaticano um pedido para que o papa Bento XVI envie um representante apostólico à abadia beneditina de Ettal, na Baviera, onde teriam ocorrido os crimes.

O religioso, porém, não deu nenhuma resposta definitiva sobre o envio ou não de um representante.

Nos últimos dias, o abade Barnabas Boegle e o prior e diretor da escola monástica, Maurus Krass, pediram demissão e foram destituídos de suas funções. Ettal, que possuiu autonomia jurídica, faz parte da diocese de Munique e Freising. Entre 1979 e 1983, o arcebispo da região era o atual Pontífice, Joseph Ratzinger.

Durante seu pronunciamento, Ciro Benedettini disse ainda que o Vaticano não interferirá nas recentes denúncias de pedofilia contra jovens do coro da catedral de Regensburg, também na Baviera, na época em que o coral era dirigido pelo irmão do Papa, Georg Ratzinger.

Também hoje, um padre beneditino de Ettal foi suspenso por ter publicado em um site voltado ao público homossexual imagens de ex-estudantes do monastério retratados com o torso nu. A procuradoria local, que investiga as denúncias, fez ontem a segunda busca e apreensão na abadia, recolhendo vários computadores.

O frade em questão, segundo a agência de notícias DPA, teria tirado as fotos dos rapazes durante um passeio nas montanhas. De acordo com o jornal Münchner Merkur, já foram divulgados pelo menos dois casos de abuso sexual na abadia.

O presidente da Conferência Episcopal Alemã (DBK, na sigla em alemão), Robert Zollitsch, terá uma reunião com o Pontífice no próximo dia 12 para conversar sobre as recentes denúncias envolvendo a Igreja Católica.

"A questão é tão importante para mim que falarei dela com o papa Bento XVI durante minha visita de março", já havia comentado Zollitsch em 22 de fevereiro, durante a abertura da assembleia plenária da DBK.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host