UOL Notícias Notícias
 

09/03/2010 - 09h35

Mulheres tiram a roupa para protestar contra Felipe Calderón

ANSA
CIDADE DO MÉXICO, 9 MAR (ANSA) - Cinco jovens se despiram ontem, no Dia Internacional da Mulher, em frente ao Palácio Legislativo de San Lázaro, na capital mexicana, para pedir a destituição do presidente Felipe Calderón.

"Desnudamos nossos corpos para desnudar o governo de Calderón", explicaram as manifestantes, que cobriam as cabeças com um capuz negro.

Elas se pintaram com uma tinta vermelha que imitava sangue em alusão às mulheres assassinadas em Ciudad Juárez -- localizada na fronteira com os Estados Unidos e considerada a cidade mais perigosa do mundo -- e leram um texto com várias reclamações.

As jovens protestavam pelas "mães de desaparecidos", "presas de consciência" e mulheres eletricistas que foram despedidas com o fechamento da estatal Luz y Fuerza del Centro -- que teve suas atividades encerradas pelo governo em outubro, com a demissão de 44.660 funcionários.

As cinco manifestantes também citaram as mulheres violentadas por soldados do Exército mexicano e as leis que proíbem o aborto.

"Fora Calderón", exigiram elas, ao convocar uma consulta nacional para os dias 22 a 24 de maio a fim de decidir sobre a revogação do mandatário.

Enquanto isso, o presidente participava de um ato em comemoração à data no Estado de Tlaxcala, centro do país, durante o qual chamou a atenção para as condições injustas enfrentadas pelas mulheres.

Em seu pronunciamento Calderón declarou que elas ganham a pulso o reconhecimento, apesar das adversidades e dos obstáculos que seguem enfrentando nos campos político, social e econômico.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host