UOL Notícias Notícias
 

11/03/2010 - 13h38

Em sua primeira declaração como presidente do Chile, Piñera pede calma à população

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 11 MAR (ANSA) - O empresário Sebastián Piñera pediu calma à população chilena em suas primeiras palavras como presidente do país, em virtude da ocorrência da mais forte réplica desde o terremoto de 8,8 graus na escala Richter que atingiu a nação no último dia 27.

"Queremos representar as esperanças de todo um povo e quero aproveitar para pedir às pessoas que cumpram de maneira preventiva o alerta de tsunami", ressaltou Piñera sobre a medida adotada pelo Serviço Hidrográfico e Oceanográfico da Marinha.

"Quero dizer aos chilenos que, apesar da adversidade, nada nos foi dado de presente, tudo foi conquistado com trabalho. Em meio à adversidade que se mede a valentia de um povo e sei que temos um povo valente, trabalhador e que está preparado para enfrentar a adversidade", destacou o novo presidente.

Nesta quinta-feira, foram registradas novas réplicas no país -- a primeira delas e considerada a mais forte até o momento atingiu 7,2 graus na escala Richter, segundo dados do Serviço Geológico dos Estados Unidos, (USGS, na sigla em inglês).

Os abalos sísmicos foram registrados minutos antes da cerimônia de posse, realizada às 12h no Congresso Nacional, em Valparaíso, e que contou com a presença de diversos líderes sul-americanos, entre eles Evo Morales, da Bolívia, Rafael Correa, do Equador, Álvaro Uribe, da Colômbia, Alan García, do Peru, Fernando Lugo, do Paraguai, e José Mujica, do Uruguai.

Na solenidade, o novo mandatário recebeu a faixa presidencial do líder do Senado, Jorge Pizarro, que a retirou da então chefe de Estado, Michelle Bachelet.

Já com a faixa, Piñera assistiu à leitura do decreto que deu posse ao seu gabinete. O subsecretário do Interior, Rodrigo Ubilla, foi o responsável por chamar os ministros, um a um, para que eles prestassem juramento.

Depois desse processo, o presidente anunciou que "a partir deste momento, vocês estão empossados de seus cargos de ministros da República do Chile". As nomeações, que ocorreriam em outra cerimônia, foram antecipadas por razões "inadiáveis", ou seja, o trabalho a ser realizado após o terremoto de 8,8 graus na escala Richter que atingiu o país em fevereiro passado.

Por sua vez, o deputado Marco Enríquez-Ominami, candidato à presidência derrotado no primeiro turno das eleições, em 13 de dezembro de 2009, manifestou seu apoio a Piñera no que se refere à reconstrução do Chile, mas também pediu o cumprimento das promessas eleitorais.

"Sebastián Piñera tem um tremendo desafio e conta com nosso apoio para a reconstrução, mas também peço prudência, pois a promessa de vender as ações da LAN e da Chilevisión não foi cumprida", alertou Enríquez-Ominami.

Em seu primeiro dia como presidente do Chile, o empresário ainda fará uma visita à cidade de Constitución, localizada na região de Maule, uma das duas mais afetadas pelo primeiro abalo sísmico, que deixou centenas de mortos e onde há um número incerto de desaparecidos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,56
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h21

    1,28
    73.437,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host