UOL Notícias Notícias
 

12/03/2010 - 13h03

Mais de 1 milhão continuam sem aulas no Chile, segundo ministro

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 12 MAR (ANSA) - O novo ministro da Educação do Chile, Joaquín Lavín, informou que 1,25 milhão de alunos dos ensinos básico e médio -- de um total de 3 milhões -- continuam sem aulas porque os edifícios de suas escolas foram danificados pelo terremoto de 8,8 graus que atingiu o país no dia 27.

Lavín explicou que ainda não foi possível transferir todos esses estudantes para outros colégios porque não há vagas suficientes. O presidente Sebastián Piñera, que assumiu ontem o cargo, cobrou uma solução em até 45 dias.

Nas regiões mais afetadas do país, mais da metade dos colégios foram destruídos ou tiveram sua estrutura gravemente comprometida, tornando os prédios inutilizáveis. Diante disso, são discutidas alternativas emergenciais, como o uso de galpões para abrigar os alunos temporariamente.

Em algumas áreas, disse Lavín, especialmente no litoral, "não há colégios, e vamos ter de recorrer a ações de emergência".

O ministro indicou que a construção de colégios modulares com tecnologia canadense, de aço e madeira, é uma possibilidade. O processo é muito mais rápido que o tradicional.

"Temos de começar o ano escolar onde a infraestrutura foi prejudicada", afirmou ele.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host