UOL Notícias Notícias
 

18/03/2010 - 08h26

Chile nomeia nova secretária para programa de direitos humanos

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 18 MAR (ANSA) - A advogada Rossy Lama Diáz foi designada secretária-executiva do Programa de Direitos Humanos promovido pelo Ministério do Interior do Chile.

A nova funcionária do governo do presidente Sebastián Piñera irá atuar como promotora no âmbito de crimes de lesa-humanidade cometidos durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

"O trabalho fundamental que me foi dado é continuar com esse programa e melhorar a tramitação das causas vigentes", comentou a advogada, que não tem experiência em direitos humanos.

Sua nomeação, anunciada durante uma reunião entre o ministro do Interior, Rodrigo Hinzpeter, e o subsecretário da pasta, Rodrigo Ubilla, "surpreendeu" a Associação de Familiares de Presos Desaparecidos, liderada por Lorena Pizarro, que disse não conhecer Lama Diáz.

"É uma designação que nos surpreende. Pelo que soubemos, ela não maneja um conhecimento das causas de direitos humanos", comentou Pizarro.

Por sua parte, o advogado Roberto Garretón, que é especialista neste tema, definiu como "preocupante" o fato da nova secretária-executiva não conhecer nenhum dos líderes que lutaram contra os abusos da ditadura.

Lama Diáz, que já trabalhou como procuradora de crimes sexuais na cidade de Iquique e é advogada do Conselho de Defesa do Estado, ocupará o cargo de Rosemarie Bornard, que foi secretária-executiva do Programa de Direitos Humanos durante o governo da ex-presidente Michelle Bachelet, cujo mandato terminou no último dia 11.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host