UOL Notícias Notícias
 

18/03/2010 - 18h15

Equador reitera pedido à Colômbia por informações de computadores das Farc

ANSA
QUITO, 18 MAR (ANSA) - O chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, reiterou hoje que o governo colombiano não pode negar a disponibilização de todas as informações contidas nos computadores das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) apreendidos durante ataque ao acampamento da guerrilha em março de 2008.

A ação militar em questão, que deixou 26 mortos, foi realizada ilegalmente no Equador por agentes colombianos, o que gerou o rompimento das relações diplomáticas entre os dois países.

"Nós necessitamos de todas as informações. Esses discos rígidos estavam em território equatoriano e foram ilegitimamente levados", indicou Patiño.

O chanceler colombiano, Jaime Bermúdez, por sua vez, garantiu que seu país já entregou a Quito parte das informações desejadas.

O compartilhamento dos documentos apreendidos no ataque é um dos assuntos considerados "sensíveis" pelos dois governos para o total restabelecimento dos laços.

Uma comissão, da qual participam a Organização dos Estados Americanos (OEA) e o Centro Carter, foi criada para a análise desses temas, mas, segundo Patiño, esta não poderá se reunir a "curto prazo".

"Infelizmente, não encontramos nenhuma data em que todos os calendários possam coincidir", lamentou.

Amanhã, o Equador apresentará em Washington seus argumentos à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) sobre a suposta "execução extrajudicial" de Franklin Aisalla, que foi morto durante a incursão colombiana.

O país presidido por Rafael García será representado pelo procurador-geral Diego García, que assegura que a proteção ao "direito da vida" se sobrepõe a considerações políticas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h09

    -0,80
    3,257
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h11

    1,06
    63.898,31
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host