UOL Notícias Notícias
 

25/03/2010 - 14h40

Arcebispo de Sydney diz que Bento XVI sempre combateu pedofilia

ANSA
CIDADE DO VATICANO, 25 MAR (ANSA) - O arcebispo de Sydney, cardeal George Pell, saiu em defesa do papa Bento XVI ao rebater críticas de que a Igreja Católica teria tentado encobrir casos de pedofilia ocorridos em diversos países e nos quais sacerdotes estiveram envolvidos.

"O mal do abuso sexual não pode ter lugar no âmbito da Igreja Católica, e ninguém deve duvidar da firme intenção de Bento XVI em erradicá-lo", disse o religioso em declarações reproduzidas no site da diocese e citadas pelo jornal vaticano L'Osservatore Romano.

Pell também se referiu à carta enviada pelo Santo Padre no último sábado aos fiéis da Irlanda, na qual ele disse se sentir "envergonhado" pelos casos de pedofilia cometidos por religiosos e encobertos por membros da diocese de Dublin por décadas.

"O apelo do Papa por uma contínua colaboração com a polícia e com os órgãos de justiça nos casos de acusações de abusos sexuais é coerente com o forte empenho com o qual ele tratou da questão desde quando era prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé", afirmou o cardeal.

Além da Irlanda, nos últimos meses vieram ainda à tona denúncias envolvendo religiosos de nações como Alemanha, Áustria, Holanda, Canadá e Brasil, entre outras.

Em muitos casos, há também a crítica de que membros da Igreja tomaram conhecimento da situação e guardaram silêncio diante dela.

O arcebispo de Sydney ressaltou, no entanto, que "as normas eclesiásticas sobre abusos sexuais jamais foram interpretadas como uma proibição que impedia denunciar os crimes às autoridades civis".

Além disso, "as leis locais são respeitadas em todos os casos", prosseguiu, "e isto é certamente o que ocorre na Austrália".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host