UOL Notícias Notícias
 

25/03/2010 - 15h48

Entidade antipedofilia dos EUA quer abrir escritório na Itália

ANSA
ROMA, 25 MAR (ANSA) - A associação norte-americana Survivors Network of Those Abused by Priests - Snap (Rede de sobreviventes dos violentados por padres, em tradução livre), que denuncia casos de pedofilia ocorridos na Igreja Católica, pretende abrir um escritório na Itália.

A informação foi dada por Barbara Dorris, que integra a entidade e durante a manhã de hoje participou de uma manifestação em Roma. Ela ressaltou, contudo, que seria "muito complicado" contar com uma seção italiana porque as vítimas do país estão "assustadas".

"As vítimas italianas com as quais estamos em contato e cujos casos ainda não se tornaram públicos estão assustadas, ainda mais depois do que aconteceu hoje", disse Dorris.

Na manhã desta quinta-feira, a polícia italiana interrompeu um protesto que era realizado por quatro membros do Snap na Praça Pio XII, em Roma, que fica diante do Vaticano.

A manifestação, feita por dois homens e duas mulheres, tinha como objetivo chamar a atenção para casos de pedofilia envolvendo sacerdotes que estão vindo à tona em diversos países, entre eles a Itália.

Na ação, os manifestantes distribuíram cópias da correspondência que teria sido trocada nos anos 1990 entre o papa Bento XVI e autoridades católicas de Milwaukee, nos Estados Unidos, relacionadas a um caso divulgado hoje pela imprensa norte-americana.

De acordo com o The New York Times, o Santo Padre e o cardeal Tarcisio Bertone, hoje secretário de Estado do Vaticano, ocultaram um episódio que envolvia um padre acusado de ter molestado ao menos 200 crianças surdas em uma escola de Wisconsin.

Após serem abordados pela polícia, os integrantes do Snap foram levados a uma delegacia, onde permaneceram por duas horas, sob a acusação de "terem organizado um protesto sem autorização", relatou Dorris. "Sabemos que não fizemos nada de errado", disse ela.

Além dos Estados Unidos e da Itália, recentemente também vieram à tona casos de abusos sexuais contra menores envolvendo sacerdotes no Brasil, Alemanha, Áustria, México, Holanda e Espanha, entre outras nações.

Na Itália, a revista semanal L'Espresso deverá divulgar amanhã informações sobre casos de pedofilia supostamente ocorridos em várias regiões do país.

Anteriormente, já haviam sido publicadas denúncias de casos ocorridos em Verona, norte da Itália, onde crianças surdas-mudas foram violentadas e espancadas por religiosos na década de 1960.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host