UOL Notícias Notícias
 

09/04/2010 - 18h54

Proposta do Peru por desarmamento não tem relação com os EUA, diz chanceler

ANSA
LIMA, 9 ABR (ANSA) - O chanceler peruano, José Antonio García Belaúnde, declarou hoje que a proposta de seu país pelo desarmamento da América do Sul não tem relação com as críticas dos EUA sobre a compra de equipamentos militares russos concretizada pela Venezuela nesta semana.

"Essa proposta é muito anterior ao acordo derivado da compra de armas pela Venezuela e tem a ver com a iniciativa do presidente Alan García em Bariloche", indicou García Belaúnde ao recordar uma reunião da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) realizada na cidade argentina, em agosto de 2009.

Na ocasião, o mandatário do Peru propôs a assinatura de um pacto de não-agressão militar e desarmamento aos demais países do subcontinente.

A declaração do chanceler peruano pode ser considerada como uma resposta ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, que o chamou de "uma peça do império" dos Estados Unidos.

Segundo García Belaúnde, "alguém", que não quis identificar, pretende relacionar a proposta peruana ao bloco regional com o posicionamento norte-americano sobre as políticas da Venezuela.

Apesar de ressaltar que a aquisição de novas armas pelo governo venezuelano não preocupa o Peru, o chanceler lamentou o fato pela possibilidade de gerar "um efeito em cadeia e todos [os países] começarem a se armar".

As negociações entre Rússia e Venezuela estão entre os pontos de atritos entre o governo russo e os norte-americanos. Desde 2004, o governo de Chávez já gastou mais de US$ 4 bilhões em armamentos russos para adquirir aviões de combate, helicópteros militares e mais de 100 mil fuzis 7,62 AK 103.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host