UOL Notícias Notícias
 

11/04/2010 - 18h14

Bachelet diz que compromisso com direitos humanos é 'para sempre'

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 11 ABR (ANSA) - A ex-presidente do Chile Michelle Bachelet (2006-2010) proclamou hoje que sua dedicação em relação aos direitos humanos "é um compromisso muito profundo e para sempre".

A ex-mandatária visitou o complexo de Villa Grimaldi, antigo campo de prisão clandestino para abrigar opositores à ditadura militar de Augusto Pinochet (1973-1990).

No local, ela assistiu a um ato em homenagem a três dirigentes socialistas presos em Mendoza, na Argentina, no dia 3 de abril de 1976, e posteriormente conduzidos até ali. Depois da transferência, seus rastros foram perdidos.

Os detidos eram o então secretário do Partido Socialista (o mesmo de Bachellet) na cidade de San Bernardo, Luis Muñoz; o ex-presidente da Federação de Estudantes Industriais e Técnicos (Feitech) Juan Hernández; e o membro do Comitê Central do Partido Socialista Manuel Tamayo.

O pai da ex-presidente, Alberto Bachelet, também foi capturado por agentes da ditadura de Pinochet e morreu na prisão, em 1974. No ano seguinte, ela foi detida, ao lado de sua mãe, levada a Villa Grimaldi e torturada.

Perante cerca de 100 dirigentes políticos e sociais, Bachelet reiterou que a lembrança dos caídos permanece viva na memória das pessoas.

"Não é um tema de um dia, mas uma luta permanente pelo resto de todas as nossas vidas, para assegurar um país em democracia, em liberdade e em respeito de uns e outros", declarou a chilena.

Bachelet ressaltou que esteve em Villa Grimaldi "como cidadã, como ministra, como presidente e hoje estou novamente aqui como cidadã".

A ex-presidente entregou a chefia do Executivo ao conservador Sebastián Piñera no último dia 11 de março.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host