UOL Notícias Notícias
 

11/04/2010 - 08h58

Bento XVI volta a expressar dor por morte de presidente da Polônia

ANSA
CASTEL GANDOLFO, 11 ABR (ANSA) - O papa Bento XVI tornou a lamentar a morte do presidente da Polônia, Lech Kaczynski, oferecendo seu apoio à "amada nação polonesa" e unindo-se ao país na dor e na oração.

Na celebração do Regina Coeli, o Pontífice recordou o acidente aéreo ocorrido ontem no oeste da Rússia e que resultou na morte de 95 pessoas, entre elas 88 membros da delegação oficial da nação europeia. Além do mandatário, a primeira-dama Maria também faleceu no desastre.

"Com profunda dor, soube da notícia da trágica morte do senhor Lech Kaczynski, da esposa e das pessoas que os acompanhavam", relatou Bento XVI, lembrando que o grupo viajava para Katyn, "o lugar do suplício de milhares de oficiais militares poloneses assassinados há setenta anos".

O presidente e sua comitiva se dirigiam ao interior da Rússia para participar de um evento em homenagem às vítimas do massacre de cidadãos do país, feito por tropas da União Soviética em 1940.

"Confio tudo ao misericordioso Senhor da vida. Faço-o unindo-me aos peregrinos do santuário de Lagiewniki [na Polônia] e com todos os devotos da Misericórdia de Deus no mundo inteiro", declarou o Papa.

Bento XVI dirigiu seu pronunciamento aos poloneses presentes na residência papal de Castel Gandolfo, onde ele repousa após participar das celebrações da Semana Santa. Os fieis responderam com hinos em polonês e acenando bandeiras com a palavra "Polski", que significa "polonês".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,22
    3,142
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,67
    70.477,63
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host