UOL Notícias Notícias
 

15/04/2010 - 08h43

Argentina e Rússia assinam acordo de desenvolvimento nuclear

ANSA
BUENOS AIRES, 15 ABR (ANSA) - O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, destacou a "associação estratégica" de seu país com a Argentina, ao assinar uma série de acordos com a mandatária Cristina Fernández de Kirchner em Buenos Aires.

"A relação entre a Argentina e a Rússia avançou. Trata-se de uma relação muito madura, é uma associação estratégica", comentou o líder russo, que ontem realizou uma visita oficial ao país latino-americano.

Durante uma reunião, os dois presidentes assinaram acordos no âmbito energético, ferroviário e mineral, além de memorandos de cooperação nas áreas de defesa e produção.

Um dos tratados prevê ações conjuntas entre a estatal russa Rosatom e o Ministério de Planificação da Argentina, como o desenvolvimento do projeto de produção de energia nuclear para fins pacíficos.

Este projeto inclui investimentos de US$ 3 bilhões para a ativação da central energética Atucha II, que deve operar em Buenos Aires até o fim do ano.

A presidente argentina comentou que todos os países, "inclusive o Irã", "devem submeter-se aos controles, sem que isso signifique paralisar o desenvolvimento nuclear, ao qual todos têm direito".

Em uma coletiva de imprensa após o encontro com Medvedev, Cristina ressaltou que "hoje [quarta-feira] é um dia muito especial", porque, "em 200 anos de história da Argentina, uma presidente mulher da Argentina recebe o primeiro presidente russo que visita o país".

Os dois chefes de Governo também destacaram que firmaram "importantes acordos" e que o comércio bilateral "se multiplicou muito desde 2003".

Durante a visita de Medevev, foi anunciado que um grupo de 40 empresários argentinos viajará a Moscou entre os próximos dias 6 e 10 de junho, em uma missão organizada pelo Ministério da Indústria do país sul-americano.

O governo argentino irá custear 50% das despesas dos empresários, que representarão os setores agrícola, industrial e de maquinário, além de organizar a logística das reuniões na Rússia.

Na coletiva de imprensa, a mandatária lamentou ainda os atentados cometidos no fim do mês passado no metrô russo. "O mundo mudou e a tensão Leste-Oeste culminou", observou Cristina.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h39

    -0,27
    3,267
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h49

    1,46
    62.572,96
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host