UOL Notícias Notícias
 

18/04/2010 - 11h55

Italianos acusados de planejar atentados no Afeganistão são soltos

ANSA
ROMA, 18 ABR (ANSA) - Os três funcionários italianos da organização não-governamental Emergency, detidos no Afeganistão há uma semana, foram soltos hoje e estão indo à embaixada italiana na capital afegã, informou uma nota da entidade.

Em Roma, o ministro italiano das Relações Exteriores, Franco Frattini, expressou sua "satisfação pela positiva conclusão" do caso. O grupo foi preso em Lashkar Gah, sul do país, acusado de supostos vínculos com terroristas.

"Conseguimos alcançar nosso objetivo prioritário, ou seja, a libertação de nossos conterrâneos, sem colocar em discussão a nossa firme posição de solidariedade às instituições afegãs e à coalizão internacional", explicou Frattini.

Segundo o chanceler, as libertações foram "resultado de uma intensa ação conduzida pela diplomacia que atuou com extraordinário profissionalismo e discrição".

Por sua parte, a presidente da entidade de ajuda humanitária, Cecilia Strada, agradeceu todos que se empenharam pelos membros da ONG. "Estamos muito, muito felizes que nossos três operadores foram finalmente liberados e que puderam contatar suas famílias depois de dias de angústia".

Por outro lado, o responsável pela área de comunicação da Emergency, Maso Notarianni, pediu ainda que sejam retiradas também as acusações contra os italianos.

Na última semana, logo após a detenção do grupo, o premier italiano, Silvio Berlusconi, enviou uma carta ao presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, com o pedido por uma solução "concreta" ao episódio.

A acusação contra o cirurgião Marco Garatti, o enfermeiro Matteo dell'Aira e o técnico Matteo Pagani foi lançada pelo governador da província de Helmand, Gulab Mangal, que afirmou que os três "planejavam atentados", sendo ele o primeiro dos alvos.

Ainda segundo Mangal, o plano teria sido orquestrado por membros da milícia Taliban. Durante a operação, as autoridades locais afirmaram terem encontrado cinco rifles, nove granadas e sete coletes para explosões, além de vários tipos de munição.

Mais tarde, Frattini oferecerá uma coletiva de imprensa com mais detalhes sobre o caso. A Itália é um dos países que ajudam as forças afegãs no processo de estabilização da nação. Desde 2004, as tropas italianas atuam na Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf, na sigla em inglês).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host