UOL Notícias Notícias
 

19/04/2010 - 16h40

Clima familiar marca almoço oferecido ao Papa

ANSA
CIDADE DO VATICANO, 19 ABR (ANSA) - O presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, Walter Kasper, revelou que o almoço oferecido hoje a Bento XVI, em comemoração ao quinto aniversário de seu Papado, foi marcado por uma "atmosfera muito familiar".

O almoço desta segunda-feira, que celebrou a eleição de Joseph Ratzinger à sucessão de João Paulo II, falecido em 2 de abril de 2005, contou -- entre outros -- com uma homenagem do decano dos cardeais, Angelo Sodano.

Na Páscoa, Sodano já havia saído em defesa do Papa, reiterando em público o apoio da Igreja e dos católicos ao Pontífice. Hoje, ele afirmou que o Colégio Cardinalício "é uma grande família, sempre unida ao sucessor de Pedro e comprometida a viver em um mútuo espírito de comunhão fraterna".

Bento XVI, por sua vez, retomou o atual momento vivido pelos católicos, em decorrência dos casos de pedofilia denunciados em várias partes do mundo, falando sobre as feridas e pecados da Igreja Católica.

O Papa disse não se sentir "sozinho", porque percebe em torno de si a presença e o respaldo de todos os cardeais, "que com ele dividem as atribulações e consolações".

Ao todo, 47 purpurados participaram do almoço, além de alguns representantes dos dicastérios. Por outro lado, cardeais de outros países não conseguiram chegar ao encontro, já que ficaram impedidos de viajar por conta da erupção de um vulcão islandês, que provocou há alguns dias o fechamento do espaço aéreo de parte da Europa.

Outros religiosos enviaram seus cumprimentos e pregações por Ratzinger e pela Igreja. O arcebispo de Bolonha, cardeal Carlo Caffarra, por exemplo, celebrou uma missa dedicada ao Pontífice.

Já o arcebispo de Milão, cardeal Dionigi Tettamanzi, comemorou a ocasião durante uma missa dedicada a São João Maria Vianney, o Cura D'Ars, padre morto no século XIX e santificado por suas qualidades morais e de fé.

"Queremos expressar o nosso afeto pelo papa Bento XVI no dia do aniversário de sua eleição ao Pontificado", disse Tettamanzi, que também pediu orações para que o Papa "possa compreender a graça e a ternura do amor do Pai [Deus] neste momento de prova e sofrimento".

Bento XVI completa cinco anos no comando da Santa Sé em um dos momentos mais difíceis da entidade. Além da divulgação de uma série de episódios de abusos sexuais, cometidos por religiosos, a atuação do Papa também está sendo questionada.

Ratzinger, que completou 83 anos na última sexta-feira, se tornou o 265º papa da História e o primeiro a iniciar um Pontificado no século XXI.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h09

    0,57
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h17

    -0,86
    74.739,02
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host