UOL Notícias Notícias
 

19/04/2010 - 13h33

Fidel reitera que Cuba não 'cederá a chantagens' sobre direitos humanos

ANSA
HAVANA, 19 ABR (ANSA) - O ex-presidente cubano Fidel Castro ratificou hoje que o governo da ilha "não cederá a chantagens e ao terror midiático", referindo-se às críticas de parte da comunidade internacional em relação a um possível desrespeito aos direitos humanos.

Em artigo publicado no jornal Granma, o líder da Revolução Cubana reiterou as declarações de seu irmão e presidente do país, Raúl Castro, o qual já havia afirmado no início do mês que "jamais cederá à chantagem".

O governo cubano tem sido alvo de uma série de críticas devido à morte de Orlando Zapata Tamayo, preso opositor ao regime que faleceu em fevereiro, após passar dois meses e meio em greve de fome pela libertação de outros detidos e por melhores condições de vida nos cárceres.

No mesmo artigo, Fidel defendeu que nos últimos 50 anos -- desde que assumiu o poder -- nunca foram violadas "determinadas normas de conduta", como a "de não torturar jamais um cidadão".

O ex-mandatário, que renunciou em 2008 devido a problemas de saúde, também relembrou que, na semana passada, se reuniu com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, o qual, segundo ele, "é a pessoa que mais preocupa o império [Estados Unidos, ndr.] atualmente", já que é declaradamente contra Washington.

O governo cubano acusa os Estados Unidos e a Europa de "patrocinarem" as críticas e as outras greves de fome que ainda são mantidas por dissidentes, como a do jornalista e psicólogo Guillermo Fariñas.

A Comissão Cubana de Direitos Humanos estima que existam ao menos 201 presos políticos no país, os quais são considerados delinqüentes pelo governo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host