UOL Notícias Notícias
 

27/04/2010 - 08h42

Colômbia repudia decisão da Justiça do Equador contra Santos

ANSA
BOGOTÁ, 27 ABR (ANSA) - O governo colombiano voltou a advertir que não reconhecerá a "jurisdição extraterritorial" da Justiça do Equador, a qual emitiu uma ordem de prisão contra o ex-ministro da Defesa e candidato governista à presidência do país, Juan Manuel Santos.

Em um comunicado, o Ministério das Relações Exteriores de Bogotá destacou que "não reconhece a jurisdição da Justiça equatoriana para investigar e julgar funcionários e ex-funcionários colombianos".

O governo do presidente Álvaro Uribe também anunciou que "defenderá, com os instrumentos que tiver a seu alcance, todos os funcionários e ex-funcionários colombianos que enfrentam circunstâncias desta natureza" e reiterou que "suas defesa e proteção são responsabilidade do Estado".

A ordem de prisão contra Santos foi ratificada na tarde de ontem pela Corte de Justiça da província de Sucumbíos, que investiga a morte de mais de 20 pessoas ocasionada por uma ação realizada pelo Exército colombiano em território equatoriano em 1º de março de 2008.

A decisão judicial foi tomada pelo juiz Daniel Méndez, que acatou o pedido do Ministério Público local e considerou inválido o recurso apresentado pela Defensoria, que buscava a revogação da ordem de prisão.

Santos é acusado por autoridades equatorianas de ser um dos autores intelectuais da operação militar cujo intuito era atacar um acampamento da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que ficava no Equador.

A ação deixou 26 mortos, entre eles um dos líderes da guerrilha, Raúl Reyes. Desde então, Quito rompeu as relações diplomáticas com Bogotá.

O processo judicial havia sido suspenso no último mês de fevereiro pelo juiz Francisco Revelo, mas foi aberto novamente no início de abril.

Santos é candidato da legenda Partido Social da Unidade Nacional (conhecido como Partido de la U, o mesmo do presidente Uribe), às eleições presidenciais colombianas, marcadas para o próximo dia 30 de maio.

Segundo as últimas pesquisas de intenção de voto, o ex-ministro da Defesa tem 29% da preferência do eleitorado, atrás do candidato do Partido Verde, o ex-prefeito de Bogotá Antanas Mockus, que aparece com 38%.

Até a semana passada, Santos liderava as pesquisas e era apontado como o possível vencedor do pleito. No entanto, nos últimos dias, Mockus apresentou um considerável crescimento de popularidade.

Muitas previsões creem em um segundo turno entre Santos e Mockus com chances de haver um empate técnico nas eleições do dia 30.

Durante sua campanha eleitoral, Santos chegou a afirmar que se sentia "muito orgulho" de ser um dos mandantes do ataque militar feito no Equador.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host