UOL Notícias Notícias
 

27/04/2010 - 15h04

Justiça argentina cancela indulto de Menem a ex-ministro da ditadura

ANSA
BUENOS AIRES, 27 ABR (ANSA) - A Corte Suprema de Justiça argentina declarou hoje a inconstitucionalidade do indulto concedido pelo ex-presidente Carlos Menem em 1990 ao ex-ministro da Economia José Alfredo Martínez Hoz, membro do governo da ditadura.

Com a decisão, de acordo com a agência DyN, Martínez Hoz, que foi titular do ministério durante a ditadura militar na Argentina (1976-1983), poderá ser detido, devido ao sequestro do empresário Federico Gutheim e de seu filho, Miguel Ernesto, em novembro de 1976.

Pela mesma razão, já estão presos o ex-ditador Jorge Rafael Videla e o ex-ministro do Interior Albano Harguindeguy.

Videla também teve seu indulto cancelado hoje, mas, como já está detido, sua situação não foi alterada.

Na semana passada, a Justiça argentina condenou o ex-ditador Reynaldo Bignone a 25 anos de prisão por crimes contra a humanidade.

Menem, que governou o país entre 1989 e 1999, assumiu a presidência argentina em meio a uma grave crise econômica, com uma inflação de quase 3.000% ao ano. Após deixar o cargo, o ex-presidente sofreu processos de corrupção.

Além disso, em 2001, ele chegou a ficar preso por seis meses acusado de contrabandear armas com a Croácia e o Equador.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,40
    3,181
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    2,01
    70.011,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host