UOL Notícias Notícias
 

07/05/2010 - 18h04

Bolívia denuncia que greve de trabalhadores faz parte de plano contra o governo

ANSA
LA PAZ, 7 MAI (ANSA) - O governo da Bolívia afirmou hoje que a greve geral convocada pela Central Operária Boliviana (COB) para próxima segunda-feira, sem um prazo para ser finalizada, faz parte de um plano da direita para derrubá-lo.

O vice-presidente do país, Álvaro García Linera, declarou que, a partir de sua experiência sindical, sabe que uma greve geral é declarada seu objetivo é "político" e visa "derrubar governos".

Nesse caso, é a "direita fascista e cavernosa" que promove a paralisação e pediu para os trabalhadores "não caírem no jogo dessa gente", ressaltou. García Linera afirmou ainda não duvidar que "alguns funcionários da embaixada norte-americana" estejam por trás das mobilizações.

O vice do mandatário Evo Morales também acusou os dirigentes fabris, que lideram os protestos, de serem "os mesmos" que levaram a gestão do presidente Hernán Siles Zuazo, da Unidade Democrática Popular (UDP), ao fracasso, em 1985, após o início do novo ciclo de governos democráticos no país, e advertiu que a atual administração "não cairá nesse jogo".

Por outro lado, García Linera, que está no comando do Executivo devido a uma viagem de Morales a Nova York, reconheceu o direito dos trabalhadores de realizar uma marcha de 200 quilômetros que deverá ser percorrida a pé de Caracollo à capital La Paz.

Nesse sentido, ele se ofereceu a negociar sobre as novas leis trabalhistas do país, uma das reivindicações dos grevistas. "Nenhuma lei que tenha a ver com os trabalhadores irá para a Assembleia Legislativa sem consultá-los".

Desde a semana passada, diversos setores da sociedade boliviana protestam por um aumento salarial mais expressivo do que os 5% ratificados pelo governo e exigem um acréscimo mínimo de 12%.

O vice-presidente reiterou a negativa à reivindicação alegando que, além de pagar salários a 400 mil empregados diretos do Estado, também são custeados cerca de US$ 400 milhões [equivalente a R$ 733,8 milhões] em bônus a estudantes e idosos, além dos preços dos alimentos e dos combustíveis, que são subsidiados com um montante similar.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host