UOL Notícias Notícias
 

16/05/2010 - 16h29

Piñera teria negado venda a Clarín para evitar conflito com Argentina, diz político

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 16 MAI (ANSA) - O presidente chileno, Sebastián Piñera, não vendeu o canal privado de televisão Chilevisión ao grupo argentino Clarín para evitar um conflito com o governo de Cristina Kirchner, declarou o líder do partido Renovação Nacional (RN), Carlos Larraín.

"Me disse que queria que a transferência fosse feita o mais rapidamente possível e que preferia sacrificar o preço antes de se meter em uma areia movediça pela situação que ocorre na Argentina", disse o político, que faz parte da base de apoio a Piñera, em entrevista ao jornal La Tercera.

Ao ser eleito, o presidente -- que é um dos homens mais ricos do Chile -- anunciou que ia se desfazer de alguns de seus ativos, como a companhia aérea LAN e o canal Chilevisión. Ele também é dono do time de futebol Colo Colo.

Nas últimas semanas, o grupo Clarín mostrou interesse em comprar a empresa de comunicação. Piñera, no entanto, vendeu a estação de TV ao fundo de investimentos Linzor Capital, que não tem qualquer experiência no segmento.

O Clarín e o governo de Cristina enfrentam uma disputa iniciada em 2008, quando a presidente enviou ao Congresso um projeto para reformular a Lei de Mídia e acabar com o monopólio no setor comunicacional argentino.

O Ministério das Relações Exteriores do Chile, no entanto, negou que a decisão de Piñera tenha qualquer vínculo com o conflito entre o grupo e a mandatária.

"Há tantas maneiras de mandar dizer coisas, mas não foi parte de nenhum reclamo formal ou diplomático. Chegaram versões bem fundamentadas", justificou Larraín.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host