UOL Notícias Notícias
 

25/05/2010 - 08h42

Lula, Zelaya, Lugo e Chávez vão a festa do Bicentenário da Independência da Argentina

ANSA
BUENOS AIRES, 25 MAI (ANSA) - O ex-presidente hondurenho Manuel Zelaya, deposto em um golpe de Estado no ano passado, e os mandatários do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, do Paraguai, Fernando Lugo, e da Venezuela, Hugo Chávez, se preparam para participar nesta terça-feira das comemorações do Bicentenário da Independência da Argentina.

Zelaya chegou na noite de ontem a Buenos Aires e foi recebido por autoridades do Ministério das Relações Exteriores. Ele anunciou que durante sua estadia na nação sul-americana dará uma coletiva de imprensa sobre a situação política de Honduras e os assassinatos de jornalistas e dirigentes opositores.

O ex-presidente sofreu um golpe de Estado em junho do ano passado, em meio a uma tensão ocasionada pela sua intenção de realizar uma consulta popular para alterar a Constituição hondurenha. Sem ter sido restituído ao cargo, Zelaya permanece afastado do cenário político, encabeçado agora pelo mandatário Porfirio Lobo, eleito em novembro.

Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Lugo chegarão hoje a Buenos Aires, também para acompanhar os festejos. Ambos devem viajar por volta do meio-dia e regressar a seus respectivos países ainda na noite desta terça-feira.

O venezuelano Hugo Chávez confirmou ontem sua presença na festa do Bicentenário, cujas comemorações começaram há um ano mas foram intensificadas na última sexta-feira, com exposições, apresentações musicais, comidas típicas e desfiles.

O ponto alto das celebrações ocorre hoje, na data que relembra os 200 anos da Revolução de Maio, que culminou na independência da Argentina.

Por sua vez, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, enviou uma mensagem ao povo argentino, destacando que o país "tem sido um bom amigo dos Estados Unidos".

"Em nome do povo dos Estados Unidos, quero estender as minhas fervorosas felicitações ao povo da Argentina pela celebração do Bicentenário de 25 de Maio", diz o texto, publicado pela Embaixada norte-americana em Buenos Aires.

Hillary ressaltou que, "ao longo dos últimos 20 anos, a Argentina tem sido uma boa amiga dos Estados Unidos, dedicando-se a promover a democracia, a estabilidade e a segurança local".

"Nossos países foram fundados sobre um legado comum, baseado nas ideias de liberdade individual e de governo do povo, e permanecemos unidos por nossa responsabilidade comum de construir uma comunidade estável e inclusiva nas Américas", pontua o documento.

Segundo ela, o governo do presidente Barack Obama "valoriza profundamente todos estes anos de cooperação e respeito mútuo entre nossos dois países e espera continuar nossos esforços de colaboração conjunta".

Está programado para que a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, assista hoje -- no último dia das festividades -- ao tradicional Te Deum da independência na Basílica de Luján, 60 quilômetros a oeste de Buenos Aires, e receba os cumprimentos dos líderes estrangeiros.

Na Casa Rosada, sede do governo argentino, haverá ainda um jantar de gala, oferecido a diversos mandatários latino-americanos. Os que já haviam confirmado presença são Evo Morales (Bolívia), Sebastián Piñera (Chile), Rafael Correa (Equador) e José Mujica (Uruguai).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host