UOL Notícias Notícias
 

26/05/2010 - 19h21

Após quase um ano de exílio na Nicarágua, líder indígena é detido no Peru

ANSA
LIMA, 26 MAI (ANSA) - O líder indígena peruano Alberto Pizango, que permaneceu exilado por 11 meses na Nicarágua, foi detido hoje pelas autoridades da imigração ao chegar a Lima, onde é acusado de perturbação da ordem pública, conspiração e rebelião.

No último ano, a Justiça peruana emitiu uma ordem de prisão contra Pizango por seu envolvimento nos protestos realizados na cidade amazônica de Bagua, que levaram a uma repressão policial e terminaram com um saldo de 33 mortos em 5 de junho daquele ano.

De acordo com Daysi Zapata, que é vice-presidente da Associação Interétnica de Desenvolvimento da selva peruana, organização que era presidida Pizango antes de ele ter solicitado asilo, a atriz alemã Q'Orianka Kilcher, de origem peruana, acompanhou o líder amazônico em seu retorno ao país.

A emissora Telesur, da Venezuela, informou há pouco que, após ter passado pelos controles de imigração, o indígena foi detido e, logo, será entregue às autoridades.

Antes de deixar a Nicarágua, Pizango afirmou que tomou a decisão de voltar ao Peru e "enfrentar as acusações" feitas contra ele. O presidente nicaraguense, Daniel Ortega, por sua vez, solicitou ao presidente "Alan García que, agora que Alberto Pizango retorna, lhe respeitem a integridade física e não o prendam".

A manifestação que terminou de forma violenta em junho passado tinha como objetivo protestar contra medidas aprovadas por García.

Na época, a comunidade local acusava o mandatário de permitir a exploração indiscriminada da Amazônia por meio da assinatura de decretos, que viabilizavam o Tratado de Livre Comércio (TLC) com os Estados Unidos. Depois das mortes, o Congresso do país decidiu suspender tais normas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host