UOL Notícias Notícias
 

26/05/2010 - 15h54

México: Procuradoria nega motivações políticas em prisão de candidato

ANSA
CIDADE DO MÉXICO, 26 MAI (ANSA) - A Procuradoria-Geral da República, do México, descartou hoje a existência de motivações políticas por trás da prisão de Gregorio Sánchez, candidato ao governo de Quintana Roo e acusado de lavagem de dinheiro e vínculos com o narcotráfico.

O porta-voz da Procuradoria, Ricardo Nájera, explicou que as investigações começaram no dia 15 de janeiro, depois de uma denúncia anônima e de relatórios da Unidade de Inteligência Financeira do Ministério da Fazenda.

No entanto, a detenção de Sánchez foi muito criticada pelos Partidos da Revolução Democrática (PRD), do Trabalho (PT) e Convergência, que formam a aliança que lançou sua candidatura.

Segundo eles, o governo mexicano realiza uma "perseguição política" contra o postulante, que também é prefeito licenciado do balneário de Cancún.

O presidente do PRD, Jesús Ortega, declarou que Sánchez "continuará sendo o candidato" da aliança no estado de Quintana Roo, fronteira com Belize, e que as acusações são "falsas".

Gregorio Sánchez foi preso na noite desta terça-feira e foi levado a uma penitenciária na cidade de Tepic, no estado de Nayarit. As eleições mexicanas, que renovarão governadores de 12 estados do país, acontecerão em julho.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h19

    -0,05
    3,156
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h27

    0,13
    74.538,57
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host