UOL Notícias Notícias
 

31/05/2010 - 10h31

Colômbia-Eleições: Terceiro colocado diz que pesquisas "deturparam a realidade"

ANSA
BOGOTÁ, 31 MAI (ANSA) - O terceiro colocado nas eleições presidenciais colombianas, Germán Vargas Lleras, lamentou que as pesquisas de intenção de voto tenham "deturpado a realidade" e destacou a necessidade de regulamentar esse setor.

Nos últimos levantamentos sobre o pleito -- divulgados uma semana antes da votação desse domingo -- o candidato do Mudança Radical aparecia na quinta colocação, ao lado de Rafael Pardo, do Partido Liberal. Os dois possuíam cerca de 5% das preferências.

No entanto, com a apuração de 99,7% das urnas, Vargas Lleras conseguiu a terceira posição, com 10,1% dos votos.

Além disso, o resultado do primeiro turno também apresentou uma diferença muito maior entre os dois principais candidatos do que o previsto nas pesquisas. Até o momento, o governista Juan Manuel Santos tem 46,5% das preferências contra 21,5% do opositor Antanas Mockus. Segundo os estudos, eles estavam tecnicamente empatados com cerca de 30%.

Gustavo Petro, do Pólo Democrático Alternativo (PDA), que conquistou o quarto lugar ao angariar 9,1% dos votos, declarou que as pesquisas "cumpriram um triste papel que causou muitos danos".

Já Mockus, do Partido Verde, explicou seus baixos resultados de ontem -- na comparação com as sondagens -- afirmando que os levantamentos não levaram em conta parte da população que vive nas áreas rurais, onde o eleitorado seria majoritariamente favorável a Santos.

Por sua vez, representantes dos institutos que realizam tais pesquisas criticaram a legislação colombiana, que proíbe a realização dos trabalhos na última semana antes do pleito.

"Nós tiramos a última fotografia do panorama há 13 dias, quando faltavam 500 metros para o final. Se nos deixassem tirar a foto a dois ou três metros do último dia, o resultado seria distinto", argumentou César Valderrama, da empresa Datexco.

Ontem, ainda durante a votação, a Missão de Observação Eleitoral da Colômbia denunciou, em seu primeiro relatório, a compra de votos em favor da candidatura governista. As acusações teriam sido feitas por membros do PDA e do Partido Verde.

Santos e Mockus se enfrentarão novamente no segundo turno das eleições, em 20 de junho. Para vencer na primeira etapa do pleito colombiano, algum dos candidatos precisaria ter conquistado mais de 50% dos votos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host