UOL Notícias Notícias
 

03/06/2010 - 17h21

Insulza pede transparência nos gastos militares e atos de confiança aos países da OEA

ANSA
LIMA, 3 JUN (ANSA) - O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, pediu hoje, em Lima, "transparência nos gastos militares" da região e a concretização de "medidas de confiança" para garantir a paz das fronteiras.

Insulza expôs sua preocupação ao participar da Conferência sobre Avanços e Desafios na Cooperação Hemisférica contra a Corrupção, organizada pela OEA na capital peruana. O evento, que reúne membros de governos e especialistas dos países-membros da entidade, ocorre três dias antes da inauguração da 40ª Assembleia Geral da organização.

"[É preciso] realizar atividades e medidas de confiança mútua, que permitam assegurar aos países a paz de suas fronteiras e a tranquilidade frente aos demais", pediu o secretário.

O chileno recordou que em 2009 houve um "aumento efetivo das compras" de armamentos, segundo demonstra o informe anual do Instituto Internacional de Pesquisas da Paz de Estocolmo, e "efetivamente há um aumento de números países", embora "o gasto militar na região seja baixo, se comparado com outras partes do mundo".

Em declarações à ANSA, a presidente do comitê organizador da Assembleia Geral da OEA, a embaixadora peruana Luzmila Zanabria, antecipou que seu país já pediu a inclusão, na declaração final do encontro, de uma proposta para limitar o gasto com armas e a reorientação destas quantias na luta contra a pobreza na região.

"O Peru está trabalhando e acreditamos", disse Zanabria ao ser questionada se outros países já teriam respaldado tal iniciativa.

O presidente Alan García promove uma proposta semelhante aos países da América do Sul. Por meio de um pacto de não-agressão, ele propõe, entre outros pontos, uma freada a uma corrida armamentista regional com a diminuição dos custos com armas, valores que seriam repassados a programas de assistência social.

Por sua vez, o chefe do Conselho de Ministros do Peru, Javier Velásquez, afirmou, também na inauguração do evento desta quinta-feira, que o governo García está comprometido e participa ativamente da "cruzada" internacional contra a corrupção.

"Em países pobres, como os nossos, o melhor é investir na prevenção", complementou Velásquez, ao falar com a ANSA sobre o tema.

O 40º Período Ordinário de Sessões da Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos será iniciado no próximo domingo e terminará na terça-feira. Entre diversas personalidades, espera-se a presença da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h29

    0,94
    3,288
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h31

    -1,86
    61.471,72
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host