UOL Notícias Notícias
 

04/06/2010 - 10h01

Bento XVI faz apelo para que cipriotas busquem a paz

ANSA
PAPHOS, 4 JUN (ANSA) - O papa Bento XVI recordou a ocupação turca no Chipre ao lançar um apelo para que a população local consiga solucionar "com paciência" seus conflitos e conviver em paz entre os povos, ao iniciar nesta sexta-feira uma viagem apostólica de três dias à nação.

Dirigindo-se ao presidente cipriota, Demetris Christofias, que o recebeu no aeroporto, o Pontífice desejou que "possam o amor da pátria e das famílias e a vontade de viver em harmonia com os vizinhos, sob a proteção misericórdia de Deus Onipotente, inspirar a resolver pacientemente os problemas que ainda dividem com a comunidade internacional para o futuro da ilha".

Em 1974, Chipre foi dividido em dois a partir da incursão da Turquia após uma tentativa de golpe de Estado de militares pró-gregos. Os invasores ocuparam o norte do país, tomando controle de 40% do território. Bento XVI ficará hospedado na Linha Verde, zona confiada aos soldados da Organização das Nações Unidas (ONU), e não irá à parte da ilha dominada pelos turcos.

Durante a coletiva de imprensa realizada no avião que o conduziu da Itália a Paphos, o Papa tinha explicado não querer levar a Chipre "uma mensagem política, mas uma mensagem religiosa que deveria preparar as almas a encontrar a abertura para a paz".

"Não são coisas que vão de hoje a amanhã. Porém é muito importante não só fazer os necessários passos políticos, mas também preparar as almas para serem capazes de cumprir os passos políticos necessários", afirmara ele.

Ainda no aeroporto de Paphos, Bento XVI apontou que os cristãos do Oriente Médio precisam confrontar "circunstâncias difíceis", mas têm "um insubstituível papel a ser apoiado na paz e na reconciliação entre seus povos".

Para ele, são muitos os desafios à frente dos fieis, "vivendo a comunhão com a Igreja católica e oferecendo seu testemunho a serviço da sociedade e do mundo".

"Chipre é por isso um lugar apropriado do qual lançar a reflexão da nossa Igreja no lugar da secular comunidade católica do Oriente Médio e a nossa solidariedade com todos os cristãos da região", acrescentou.

A visita de Bento XVI a território cipriota também será a ocasião para a entrega do documento de trabalho da Assembleia Especial para o Oriente Médio do Sínodo dos Bispos, reunião que acontecerá em outubro no Vaticano.

Depois das cerimônias de boas-vindas no aeroporto, o cortejo do qual faz parte o Pontífice se dirigiu à igreja de Agia Kiriaki Chrysopolitissa de Paphos, em cuja área arqueológica o líder máximo da Igreja Católica presidirá uma celebração ecumênica.

Esta é a 16ª viagem internacional de Bento XVI, e a terceira neste ano -- ele esteve em Portugal, em maio, e em Malta, em abril. Além disso, é a primeira vez que o atual Papa visita um país de maioria ortodoxa.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host