UOL Notícias Notícias
 

04/06/2010 - 11h16

Papa evita falar sobre ocupação turca durante primeira celebração em Chipre

ANSA
PAPHOS, 4 JUN (ANSA) - O papa Bento XVI participou de sua primeira cerimônia em Chipre exortando o ecumenismo entre os cristãos e evitando responder ao pedido do arcebispo ortodoxo Chrysostomos II, que havia solicitado uma cooperação ativa para por fim à ocupação turca na ilha.

"Devemos ser gratos ao Senhor, o qual, mediante seu Espírito nos conduziu, especialmente nas últimas décadas, a redescobrir a rica hereditariedade apostólica dividida por Oriente e Ocidente e, mediante um diálogo paciente e sincero, a encontrar os caminhos para nos aproximarmos uns dos outros, superando as controvérsias do passado e olhando a um futuro melhor", disse o Papa, que inicia hoje uma visita de três dias ao país.

Diante de Bento XVI, Chrysostomos II havia feito uma acusação contra Ancara, definindo como "bárbara" a invasão e ocupação turca e pedindo ao visitante que cooperasse ativamente com a causa cipriota. "Chipre e sua igreja estão vivendo seu momento histórico mais difícil", denunciou.

"Santidade, nosso povo que sofre e luta sob a liderança dos governantes pede uma cooperação ativa. Colocamos muitas esperanças em sua ajuda, especialmente no que se refere à proteção e tutela dos monumentos sacros e de todo o patrimônio cultural", continuou o arcebispo, relatando violações a estes objetos.

Mais cedo, ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Paphos, o Pontífice havia aludido indiretamente à ocupação turca em Chipre ao lançar um apelo para que a população conseguisse solucionar "com paciência" seus problemas e conviver em paz "com seus vizinhos".

Em 1974, o país foi dividido em dois a partir da incursão da Turquia após uma tentativa de golpe de Estado de militares pró-gregos. Os invasores ocuparam o norte do país, tomando controle de quase 40% do território. A ilha se separou entre a nação grego-cipriota, internacionalmente reconhecida e membro da União Europeia, e a área sob domínio turco, onde vive a minoria muçulmana.

Bento XVI e Chrysostomos II falaram durante a celebração ecumênica presidida pelo Papa na área arqueológica da igreja de Agia Kiriaki Chrysopolitissa de Paphos, onde esteve São Paulo, acompanhado por Barnabé, na primeira viagem apostólica para pregar a palavra de Cristo.

"Foi deste lugar que a mensagem do Evangelho começou a se difundir em todo o império [Romano], e a Igreja, fundada na pregação apostólica, foi capaz de plantar raízes em todo o mundo até então conhecido", observou o chefe de Estado do Vaticano.

Além do Pontífice e do líder da Igreja Greco-Ortodoxa de Chipre, estiveram presentes no palco alguns metropolitas do Santo Sínodo local. Também assistiram à cerimônia centenas de fieis ortodoxos e católicos.

Depois de ser homenageado por monges no interior da igreja, Bento XVI saudou os presentes dirigindo-se a eles em grego, a língua falada em Chipre. "A paz esteja convosco. É uma alegria estar aqui com vocês hoje", assinalou ele.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host