UOL Notícias Notícias
 

19/06/2010 - 15h23

México recorda José Saramago e lamenta a 'grande perda' para a literatura mundial

ANSA
CIDADE DO MÉXICO, 19 JUN (ANSA) - O escritor mexicano Carlos Fuentes lamentou a morte de seu colega português José Saramago, a quem definiu como "um homem que escrevia com grande alegria e muita raiva".

Em declarações de Londres para o jornal local Reforma, Fuentes recordou que Saramago "tinha um grande amor pelo México, por sua história e seus problemas". Ele era um homem "muito sincero, afetuoso e ativo em sua relação com o México, para onde gostava de ir".

"Era um grande amigo de nosso país e se comprometia com as causas mexicanas", indicou o autor de "A Vontade e a Fortuna" (2009) e vencedor do Prêmio Cervantes de 1987. Para Fuentes, a morte de Saramago representa uma "grande perda" à literatura mundial.

Por sua vez, o escritor colombiano Álvaro Mutis, radicado no México, lamentou a morte de "um homem muito gentil, que conduziu sua vida com muito rigor".

Mutis, que disse sentir uma "enorme" tristeza, também apontou que "sempre admirou" o autor de "Ensaio sobre a cegueira", obra de 1995 adaptada para os cinemas por Fernando Meirelles em 2008.

"Sem dúvida, é uma figura fundamental e inspiradora para o mundo todo", afirmou, por sua parte, o presidente da Feira Internacional do Livro de Guadalajara, Raúl Padilla.

Saramago participou de várias das edições da feira mexicana. A última vez que esteve em Guadalajara foi em 2006. Mas, segundo Padilla, a participação de 2004 foi a mais marcante.

No discurso daquele ano, o português afirmou que chegou "aonde queria chegar, o que não tinha nada a ver com a fama, nem com o dinheiro e nem com os prêmios", relembrou Padilla.

Ontem, também o presidente do México, Felipe Calderón, lamentou o falecimento, qualificado por ele como uma "dolorosa perda para as letras ibero-americanas e para o pensamento humanista contemporâneo".

"A obra de Saramago é um referente indispensável na literatura universal, já que permite entender, através da imaginação e uma sutil ironia, as transformações de nossas sociedades", manifestou a presidência em um comunicado.

José Saramago, renomado escritor e Prêmio Nobel de Literatura em 1998, faleceu ontem em sua residência na Espanha, aos 87 anos. O seu corpo está sendo velado na Câmara Municipal de Lisboa, onde permanecerá até amanhã. Depois, ele será cremado.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host