UOL Notícias Notícias
 
06/07/2010 - 09h16 / Atualizada 06/07/2010 - 09h37

Néstor Kirchner se reúne com Piñera para discutir tratado constitutivo da Unasul

ANSA
SANTIAGO DO CHILE, 6 JUL (ANSA) - O secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), o ex-presidente argentino Néstor Kirchner (2003-2007), se reúne nesta terça-feira em Santiago com o mandatário chileno, Sebastián Piñera.

Durante o encontro, que ocorrerá no Palácio de La Moneda, o titular do bloco regional reiterará a necessidade da ratificação parlamentar do tratado constitutivo do organismo. Além de almoçar com Piñera, Kirchner verá dirigentes políticos governistas e da coalizão de oposição Concertación.

A adesão do Chile à Unasul tem sido motivo de divergências em Santiago, já que os governistas repudiam a participação do país no bloco por acreditar que ele seja controlado pela Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (Alba), da qual participam nações como Venezuela, Equador, Cuba e Bolívia.

Os partidos que integram a coalizão de Piñera teriam imposto condições ao Executivo para aprovar tal incorporação. Uma delas referiria-se a uma demanda para que a Unasul inclua em suas cláusulas garantias do respeito à democracia e aos direitos humanos.

Amanhã, Kirchner viajará até Valparaiso, sede do Congresso local, a fim de se reunir com deputados e senadores para promover a aprovação do tratado constitutivo.

Além do Chile, os parlamentos de Brasil, Colômbia, Paraguai, Suriname e Uruguai ainda não formalizaram a entrada no bloco regional, e são necessárias as ratificações de pelo menos nove dos doze países-membros para que o organismo entre em vigor. Por outro lado, assinaram o acordo Equador, Venezuela, Peru, Guiana, Bolívia e Argentina.

Ainda em Santiago, o secretário-geral da Unasul se reunirá com os ex-mandatários chilenos Ricardo Lagos (2000-2006) e Michelle Bachelet (2006-2010), além do ex-candidato a presidente nas últimas eleições Marco Enríquez Ominami.

Nas próximas semanas, Kirchner visitará Uruguai, Peru e Bolívia, e irá em agosto à Colômbia, onde manterá colóquios com o presidente que se despede da chefia do Executivo do país, Álvaro Uribe, e com seu sucessor eleito, Juan Manuel Santos. Recentemente, o argentino esteve com a futura chanceler colombiana, María Angela Holguín.

Anteriormente, ele havia visitado Quito para encontrar o mandatário equatoriano, Rafael Correa, oportunidade na qual destacou que "para que a Unasul possa crescer é fundamental que a relação entre os países que a integram seja de respeito pleno, para que na diversidade possamos construir um bloco regional que esteja à altura de nossos povos".

O acordo para a criação da entidade foi assinado em Brasília, em 23 de maio de 2008. A aprovação do ex-presidente argentino como secretário-geral ocorreu há dois meses, em uma cúpula realizada na localidade de Los Cardales, próximo a Buenos Aires.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host