UOL Notícias Notícias
 
11/07/2010 - 15h32 / Atualizada 11/07/2010 - 15h56

Chávez responde a arcebispo e diz que é cristão, marxista e bolivariano

ANSA
CARACAS, 11 JUL (ANSA) - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, se definiu novamente neste domingo como "marxista" sem que isso contradiga, de acordo com ele, sua fé cristã nem sua política "bolivariana".

"Para nós, o marxismo é uma ferramenta que nos ajuda a interpretar o homem, a sociedade e a história, não um dogma, nem uma cartilha", afirmou o chefe de Governo em seu artigo dominical "As linhas de Chávez".

A ratificação dá continuidade à discussão mantida entre o mandatário e o arcebispo de Caracas, cardeal Jorge Urosa Savino. Na sexta-feira, o religioso confirmou suas opiniões contra o "Socialismo do século XXI" impulsionado pelo presidente e o acusou de conduzir a Venezuela "à ditadura marxista, comunista, que é uma ruína para o país".

"Aqui avançamos até uma democratização plena que muito bem chamamos socialismo bolivariano, cujo sentido primordial é dar poder ao povo", declarou Chávez em seu texto.

"Assim, cardeal, sou com muito orgulho bolivariano, cristão e também marxista. Se você vê contradição aí, pouco posso fazer para que entenda. Em mim essas concepções de vida convivem em uma estreita irmandade", acrescentou ele.

O mandatário reiterou ainda que Urosa deveria apresentar provas de suas acusações perante os tribunais, já que o arcebispo de Caracas considera que "isso é público, notório e evidente".

A controvérsia entre as duas figuras reavivou nesta semana o enfrentamento que ambos mantêm nos últimos anos e que envolve o governo e a cúpula da Igreja Católica venezuelana, alinhada à oposição.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host