UOL Notícias Notícias
 
16/07/2010 - 09h52

Autoridades italianas se solidarizam com militares feridos no Afeganistão

ANSA
ROMA, 16 JUL (ANSA) - As autoridades italianas demonstraram solidariedade aos três militares do país feridos na manhã de hoje no Afeganistão, os quais, de acordo com o contingente da nação europeia na província de Herat, não correm perigo de vida.

Segundo um comunicado oficial, o presidente Giorgio Napolitano pediu ao chefe do Estado Maior da Defesa, general Vincenzo Camporini, que transmitisse ao oficial, ao suboficial e ao soldado machucados sua proximidade e desejos de rápida recuperação.

Os italianos foram atingidos durante um confronto ao sul de Bala Murghab, uma das áreas mais perigosas da região ocidental do Afeganistão. Os três participavam de uma atividade de apoio às forças de segurança locais quando ocorreu um tiroteio.

"O militar ferido mais seriamente é um oficial e foi golpeado, em particular, no pulmão", contou o ministro da Defesa do país europeu, Ignazio La Russa, durante uma coletiva de imprensa em Roma, na qual explicou que os nomes das vítimas não seriam divulgados até que as famílias fossem avisadas.

O oficial foi encaminhado a Herat em um helicóptero, "que foi por sua vez atingido pelos insurgentes e precisou fazer uma parada em uma base espanhola". "O Conselho de Ministros lhes dirigiu um afetuoso voto com a esperança que superem completamente esta fase", continuou ele.

De acordo com La Russa, a região de Bala Murghab "se tornou uma zona muito perigosa, talvez porque antes não estivéssemos ali", em alusão ao contingente na Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf, na sigla em inglês). Para ele, a área é uma "via de fuga", onde os militares do país agora têm "uma presença importante" e "o perigo de conflitos é mais frequente e evidente".

"Aos três italianos feridos nesta manhã e a seus familiares vai toda a minha proximidade pessoal e o desejo da recuperação mais rápida", declarou o ministro para as Políticas Europeias, Andrea Ronchi, exprimindo também "gratidão por uma missão fundamental para o futuro do Afeganistão, pela luta contra o terrorismo e a segurança internacional".

Em uma mensagem, o presidente da Câmara dos Deputados da Itália, Gianfranco Fini, contou ter recebido com "viva preocupação a notícia" e citou seu agradecimento pela "coragem, profissionalismo e espírito de sacrifício" com que os soldados "desenvolvem cotidianamente o próprio trabalho".

O titular do Senado, Renato Schifani também se solidarizou, "com um pensamento a todos os nossos militares empenhados em uma difícil e fundamental missão para garantir a segurança internacional".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h28

    0,24
    3,137
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h32

    -0,51
    75.614,97
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host