UOL Notícias Notícias
 
16/07/2010 - 17h50

Grupo norte-americano pede fim de bloqueio tecnológico a Cuba

ANSA
NOVA YORK, 16 JUL (ANSA) - Um grupo de norte-americanos de origem cubana pediu hoje ao governo dos Estados Unidos que mude sua tradicional política de bloqueio tecnológico a Cuba. Para eles, é preciso ajudar a população da ilha para que acessem as tecnologias da informação.

O Cuba Study Group, associação sem fins lucrativos que quer contribuir para e reconciliação entre Cuba e cubanos que moram nos Estados Unidos, apresentou hoje um estudo propondo o fim do bloqueio.

Carlos Saladrigas, presidente da associação, disse que a livre venda de celulares a Cuba -- que em três anos passaram de 235 mil para mais de um milhão -- serviu, por exemplo, para que a repressão das Damas de Branco fosse filmada e difundida pela ilha.

No fim do ano passado foram divulgados vídeos na internet em que as Damas de Branco -- grupo de esposas e familiares dos presos considerados políticos pela oposição -- eram agredidas.

Na ilha, houve uma flexibilização a partir de 2008, quando o governo de Raúl Castro autorizou que os cubanos comprassem celulares e computadores. Em relação ao uso da internet, as autoridades permitem o acesso à rede em centros estatais e a profissionais como jornalistas e cientistas.

Hoje Cuba ocupa o 138º lugar no acesso à internet no mundo, e segundo Saladrigas, nos últimos dois anos a utilização da rede aumentou em 584%, apesar dos internautas utilizarem computadores e programas já ultrapassados em outras nações.

As recomendações fazem parte de um documento entregue à administração de Barack Obama e preveem uma revisão da postura da Casa Branca. O embargo dos EUA a Cuba, em vigor desde 1962, abrange também outros setores, como a saúde e a cultura.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host