UOL Notícias Notícias
 
16/07/2010 - 17h16

Justiça da Bolívia anuncia primeira condenação por corrupção na administração pública

ANSA
LA PAZ, 16 JUL (ANSA) - A Justiça da Bolívia condenou hoje pela primeira vez um funcionário público por corrupção através da lei que estabelece penalidades por atos irregulares na administração do país.

Marcelino Díaz Ramos -- ex-prefeito de Ocurí, no departamento (estado) de Potosí, e militante do governista Movimento ao Socialismo (MAS) -- foi setenciado a 12 anos de prisão por descumprimento de deveres, conduta antieconômica e desvio de verbas em 2005, 2006 e 2007.

A acusação era de que Díaz Ramos cobrou 10% do custo da construção de uma ponte para a concessão da obra, além de cometer irregularidades na compra de 20 máquinas de escrever e cobrar salários de trabalhadores fantasmas.

Dois dos principais colaboradores do ex-prefeito, Francisco Huaranca e Adrián Marca, foram condenados pelas mesmas improbidades a 10 e cinco anos de prisão, respectivamente.

O caso é o primeiro a ser julgado de acordo com a lei Marcelo Quiroga Santa Cruz, aprovada em março, que define procedimentos judiciais para investigar e punir crimes contra o patrimônio público de maneira retroativa. A norma também criou instituições estatais para combater a corrupção. O nome é uma homenagem a uma das vítimas da ditadura militar boliviana, assassinada em 1980.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host