UOL Notícias Notícias
 
26/07/2010 - 13h01

Chanceler venezuelano cita 'confiança' em Kirchner para mediar crise com Colômbia

ANSA
BUENOS AIRES, 26 JUL (ANSA) - O chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, disse hoje que seu governo tem uma "grande confiança na autoridade política e moral" do secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), Néstor Kirchner, que agirá para intermediar a crise com a Colômbia.

Kirchner, ex-mandatário argentino (2003-2007), presidirá na quinta-feira a reunião da Unasul requisitada por Caracas após a ruptura das relações diplomáticas com Bogotá. Além disso, na noite de hoje ele verá em Buenos Aires o mandatário eleito colombiano, Juan Manuel Santos.

Maduro afirmou que apresentará no encontro da Unasul um informe da "situação real da guerra na Colômbia e como a Venezuela foi vítima durante mais de 60 anos da violência política que desalojou quase quatro milhões de colombianos que hoje vivem" no país vizinho.

Além disso, o chanceler insistiu que o governo do presidente Álvaro Uribe, que deixará o poder no próximo dia 7, idealizou um "golpe de caráter militar" contra a Venezuela, como há alguns dias garantiu Chávez.

Em entrevista à rádio argentina La Voz de las Madres, o ministro assinalou que trabalha intensamente para "tentar impulsionar um plano de paz que resolva os problemas de fundo da guerra que atingiram a Colômbia e nos últimos anos ameaçaram os países da região".

O governo venezuelano rompeu relações com a nação vizinha na quinta-feira, depois de ser acusado por Bogotá perante a Organização dos Estados Americanos (OEA) de "tolerar" a presença de guerrilheiros em seu território.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h19

    0,36
    3,291
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h27

    -0,42
    62.991,56
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host