UOL Notícias Notícias
 
05/08/2010 - 15h51

Em meio a protestos, turistas continuam bloqueados em departamento boliviano

ANSA
LA PAZ, 5 AGO (ANSA) - Cerca de 100 turistas, de diversas nacionalidades, continuam no departamento boliviano de Potosí, sem conseguir deixar a região, devido ao bloqueio e protestos iniciados há alguns dias por uma demanda limítrofe.

O Ministério das Relações Exteriores da França informou que há 40 cidadãos de seu país neste ponto da Bolívia. Em Roma, a Chancelaria esclareceu que, num primeiro momento, não há italianos entre os turistas isolados.

"A França está trabalhando com as autoridades da Bolívia para encontra rapidamente uma solução", informou uma fonte do ministério.

A cidade de Potosí, capital do departamento homônimo, tem mais de 150 mil habitantes e fica a 4.000 metros de altitude, a mais de 500 quilômetros de La Paz. Também é considerada um dos pontos turísticos do país de maior atratividade, localizando-se próximo ao Chile e à Argentina.

Os manifestantes, que exigem uma série de reivindicações -- a mais grave delas a área limítrofe que esse departamento mantém com Oruro --, bloqueiam desde o início da semana todas as estradas.

Os moradores da cidade reivindicam 180 hectares da área da divisa com Oruro, que também acredita que tal território pertence à sua jurisdição. O ponto em disputa está entre as localidades de Coroma (Potosí) e Quillacas (Oruro), região conhecida por sua riqueza em recursos naturais.

Apesar de ser motivo de discussão há décadas, o conflito ampliou-se nos últimos dias com a intensificação dos protestos, que chegaram a atos de violência. De acordo com a imprensa local, além de risco de agressão, tem havido registros de saques e roubos, além de invasões a estabelecimentos públicos e privados.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,38
    3,156
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h22

    0,41
    65.277,38
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host