UOL Notícias Notícias
 
07/08/2010 - 19h15

Presidente da Colômbia está disposto a diálogo com as Farc

ANSA
BOGOTÁ, 7 AGO (ANSA) - O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, em seu primeiro discurso como chefe de Governo de sua nação, propôs hoje o diálogo com a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), desde que esta renuncie à violência.

"Vamos continuar combatendo sem trégua [o terrorismo], não descansarei até que impere o Estado de Direito em todo o território colombiano, trabalharei para consolidar a segurança democrática", prometeu.

"Avançamos, mas ainda há um longo caminho a percorrer, peço às Forças Armadas que continuem dando resultados e produzindo avanços", continuou o mandatário, afirmando que "a porta do diálogo não está fechada".

Santos reiterou que não irá "alimentar falsas esperanças", mas afirmou que seu governo está disposto a dialogar, desde que estas conversações "busquem a erradicação da violência, a renúncia às armas, ao sequestro, ao narcotráfico e a intimidação".

O presidente colombiano assumiu hoje a presidência de seu país ao prestar juramente perante "a Pátria e a Deus".

O ato, iniciado pouco depois das 15h40 locais (17h40 no horário de Brasília) ocorre na Praça Bolívar, no centro de Bogotá, sob fortes medidas de segurança, diante de ameaças e temores de eventuais agressões de grupos armados ou de guerrilheiros.

Santos, de 58 anos, é jornalista e economista, além de ter sido um dos homens fortes de Álvaro Uribe, que deixou hoje o poder após duas administrações de quatro anos cada.

Ex-ministro da Defesa da Colômbia, ele é considerado o grande responsável pela fragilização das Farc nos últimos anos, com o assassinato de vários dos dirigentes da guerrilha.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host