UOL Notícias Notícias
 
08/08/2010 - 15h54

Comitê de Direitos Humanos da ONU questiona política de Álvaro Uribe

ANSA
BOGOTÁ, 8 AGO (ANSA) - O Comitê de Direitos Humanos da ONU elaborou um informe no qual questiona o ex-presidente colombiano Álvaro Uribe, que encerrou no sábado o seu segundo mandato, considerando que este permitiu "a impunidade" dos paramilitares.

Para o comitê, com sede em Genebra, nos últimos anos não foram investigadas denúncias sobre execuções extrajudiciais, torturas e desaparecimentos, ocorridos durante a estratégia da "Segurança Democrática" de Uribe, que iniciou sua primeira gestão em 2002.

O documento, de nove páginas, recomenda à Colômbia que "cumpra com as obrigações contidas no pacto [de Direitos Humanos da ONU], e de outros institutos internacionais, como o Estatuto de Roma e a Corte Penal Internacional, e comece a investigar e punir as graves violações de direitos humanos, com sentenças adequadas".

Nas últimas décadas, houve nessa nação 280.420 casos de violações de direitos humanos, segundo o documento, publicado hoje pelo jornal argentino Pagina 12.

Ainda de acordo com a publicação, o Estado colombiano, um dos signatários do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, "outorgou reparação judicial a apenas um desses casos".

O informe da ONU também questiona os guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que sequestraram centenas de pessoas e por recrutarem "crianças para atuar no conflito armado".

O relatório é divulgado um dia após Uribe deixar o governo. Ontem assumiu a presidência da Colômbia Juan Manuel Santos, que fora ministro da Defesa da administração anterior, para um mandato de quatro anos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h29

    0,50
    3,145
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h32

    -0,60
    75.549,07
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host