UOL Notícias Notícias
 
09/08/2010 - 18h57

Potosí rejeita diálogo com governo Morales e decide continuar protesto

ANSA
LA PAZ, 9 AGO (ANSA) - As organizações sociais do departamento boliviano de Potosí decidiram continuar com os protestos e os bloqueios das região, ao repudiarem as condições impostas na manhã de hoje pelo governo de Evo Morales para dar início às negociações.

O denominado Conselho Consultivo -- que agrupa entidades cívicas, sociais e de camponeses desse departamento, localizado no sul do altiplano andino -- ratificou a mobilização por tempo indeterminado e a continuidade da proibição do tráfego nas vias locais. Há ainda ativistas em greve de fome.

O departamento permanece, assim, isolado das demais regiões do país impedindo o acesso aos vizinhos Sucre e Tarija, além dos municípios da fronteira com a Argentina.

Em um comunicado, as organizações informam que "por dignidade, o povo de Potosí exige que os ministros viajem" à região para negociar. Mais cedo, o governo federal disse que iria receber as reivindicações em um outro local, um "ponto neutro", que não foi definido ainda.

Entre outros, Potosí reclama uma área limítrofe com Oruro, onde está localizada uma reserva rica em recursos naturais. A briga pelo território é histórica, mas foi acentuada nos últimos dias. Os moradores do departamento vizinho também querem a mesma zona, demonstrando estarem mais dispostos a negociar.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host