UOL Notícias Notícias
 
10/08/2010 - 11h56

Uruguai: Após pedido de renúncia de chefe militar, governo afirma 'não ter medo'

ANSA
MONTEVIDÉU, 10 AGO (ANSA) - O comandante-chefe da Marinha do Uruguai, Oscar Debali, colocou seu cargo à disposição após denúncias de corrupção, ao mesmo tempo em que o ministro da Defesa, Luis Rosadilla, declarou "não ter medo" e não ser "pressionável".

Comentando o anúncio que fará na tarde de hoje sobre a renúncia, em entrevista ao jornal La Republica, Rosadillas garantiu que serão comunicadas "novidades muito importantes", e que "haverá um antes e um depois do que se dará a conhecer".

"É algo que não está intrinsecamente relacionado às investigações em curso, mas a algo maior, mais institucional da Marinha", relatou ele, assegurando ter informado o presidente José Mujica e "toda a oposição política" "das decisões tomadas".

"Eu trabalho e assumo a responsabilidade da ação. Trabalho e não tenho medo", assinalou Rosadilla, garantindo também que "tampouco me assusto".

Mais cedo, o Executivo divulgou que analisaria o pedido de Debali. A crise envolvendo o comandante-chefe da Marinha é a primeira desde que Mujica assumiu o governo, em março, e compreende compras irregulares feitas pela instituição.

O caso já motivou a remoção de pelo menos cinco oficiais e o envolvimento de um sobrinho do chefe militar, Ernesto Menafra. De acordo com informações, o aparecimento do nome de seu familiar teria motivado a demissão de Debali.

O Ministério da Defesa informou ainda ontem que analisa um pacote com 14 novas denúncias de irregularidades. "Vamos chegar até onde for", completou Rosadilla.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host