UOL Notícias Notícias
 
11/08/2010 - 14h46

Conferência episcopal dos EUA quer ensinar crianças a prevenir abusos

ANSA
CIDADE DO VATICANO, 11 AGO (ANSA) - O Comitê para a Proteção de Crianças e Jovens da Conferência de Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB) vai propor uma série de normas para a proteção da infância às paróquias e escolas católicas do país.

O objetivo do documento -- divulgado ontem pela Rádio Vaticana e organizado tendo em vista o início do ano letivo do Hemisfério Norte -- é dar uma formação que forneça segurança aos menores e seja adequada para protegê-los de eventuais molestadores.

A diretora associada do organismo da USCCB, Mary Jane Doerr, recordou que os responsáveis pelos abusos tentam fazer das crianças cúmplices, mas a culpa é de quem se aproveita da confiança e da vulnerabilidade dos meninos e meninas.

"Deus ama as crianças e quer uma vida feliz para elas. Em caso de abusos sexuais, a vergonha cabe somente ao adulto que comete ações vis. Se uma criança é vítima, é preciso ensiná-la, fazer com que saiba que é inocente e amada por Deus e por sua família", afirma o comunicado difundido pela Rádio Vaticana.

Em caso de violências e moléstias, as crianças precisam aprender a fazer confidências com os pais ou com um adulto no qual confiem, ao invés de manter segredos.

"Devem sempre informá-los quando alguém se comporta de forma anormal e quando recebem presentes. As crianças buscam poupar os pais de notícias ruins, mas precisam aprender que podem contar qualquer coisa a eles", continua o texto dos bispos norte-americanos.

Outro elemento ressaltado pelo documento é que é possível reconhecer sinais de abusos e que é necessário ensinar a distinguir comportamentos inadequados para interromper o processo com o qual os pedófilos aliciam suas vítimas.

"[As crianças] podem também se defender sozinhas e aprender a reconhecer limites comportamentais", aponta o texto, dizendo ainda que os menores precisam "saber descrever aquilo que lhes acontece".

"A capacidade de explicar os acontecimentos leva a criança a confidenciar-se com mais facilidade com os pais", continua o comunicado.

Segundo o documento, o "objetivo geral das normas é tornar o mais seguro possível o ambiente no qual vivem as crianças".

A partir do segundo semestre do ano passado, a Igreja Católica passou a ser denunciada em diversos países por episódios de pedofilia cometidos por religiosos -- entre as nações que registraram casos estão os Estados Unidos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host