UOL Notícias Notícias
 
17/08/2010 - 13h54

Napolitano diz que ex-presidente da Itália morto hoje foi um 'combativo protagonista'

ANSA
ROMA, 17 AGO (ANSA) - O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, recordou hoje com emoção que conhecia desde 1958 o chefe de Estado emérito e senador vitalício do país Francesco Cossiga, que faleceu em Roma às 13h (8h no horário de Brasília).

Manifestando "afetuosa proximidade" à família em um comunicado, ele classificou o político como "um combativo protagonista de estações entre as mais intensas e dramáticas da história nacional".

Napolitano falou da luta contra o terrorismo, em defesa do estado democrático e das liberdades civis e "em nome da unidade das forças populares", que mobilizou a Itália nas décadas de 1970 e 1980.

Também recordou o primeiro encontro entre os dois, jovens deputados "com igual paixão civil, ainda que em diferentes lados políticos", e citou "a vivacidade e variedade de seus interesses culturais, a riqueza humana, a alma extrovertida e cordial e o sentido de humorismo que sempre teve".

O atual presidente assinalou que a vida de Cossiga foi para sempre "dolorosamente marcada" pelo sequestro e assassinato de Aldo Moro, então líder de seu partido, a Democracia Cristã (DC), pelas Brigadas Vermelhas em 1978. O episódio ocorreu na época em que o senador vitalício era ministro do Interior, e após o corpo ter sido encontrado, ele renunciou ao cargo.

Em contrapartida, como ponto alto da carreira do político, Napolitano elencou a eleição para titular do Senado, em 1983, e aquela para chefe de Estado, cargo que ocupou entre 1985 e 1992, quando também pediu demissão.

"A multiplicidade de contribuições que Francesco Cossiga deu ao desenvolvimento da república também sobre o plano das relações internacionais, e a reconstrução de sua complexa história humana, merecem atentos e objetivos aprofundamentos que não devem faltar", continuou.

A "eminente" figura do presidente emérito é representativa do "catolicismo liberal e democrático; junto à fusão entre um forte sentido das diversas histórias e culturas das quais é feita a Itália, e o inabalável compromisso da unidade nacional", completou Napolitano.

O velório de Cossiga será realizado amanhã, das 10h às 18h, em Roma, enquanto o funeral ocorrerá na Sardenha, região natal do político. Entre os cargos já ocupados por ele na política italiana também estão os de ministro do Interior e chefe de Governo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h50

    -0,78
    3,148
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h51

    0,38
    68.616,38
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host