UOL Notícias Notícias
 
14/09/2010 - 15h02

Justiça argentina autoriza extradição de ex-guerrilheiro requerido pelo Chile

ANSA
BUENOS AIRES, 14 SET (ANSA) - A Suprema Corte de Justiça argentina autorizou hoje a extradição do chileno Galvarino Apablaza Guerra, ex-líder guerrilheiro da Frente Patriótica Manuel Rodríguez (FPMR), acusado de ter participado, em 1991, do assassinato de um senador chileno que havia colaborado com o ditador Augusto Pinochet (1973-1990).

Pelo mesmo crime é solicitado pela Justiça chilena o ex-ativista Mauricio Hernández Norambuena, preso atualmente no Brasil pelo sequestro, em 2001, do publicitário Washington Olivetto.

Conhecido como Salvador, Apablaza Guerra é acusado de suposta participação na execução de Jaime Guzmán e no sequestro do empresário Cristián Edwards.

O crime voltou às páginas dos noticiários nos últimos dias, após Hernández Norambuena ter falado à imprensa chilena. Em uma entrevista, ele garantiu que o governo de Patricio Aylwin (1990-1994), o primeiro após o retorno da democracia, sabia do atentado, o que foi negado pelo ex-mandatário, quando questionado sobre as declarações.

Apablaza foi preso em 2004 em Buenos Aires, após denúncias chilenas. Desde aquele ano, ele vivia no país, com a família, sob uma identidade falsa. Depois de algum tempo detido, foi liberado e solicitou asilo como refugiado político.

Contudo, os trâmites no Comitê de Elegibilidade para Refugiados estavam paralisados. Ao anunciar sua decisão, a corte argumentou que, após cinco anos sem uma definição, ainda não há uma data para que o caso seja resolvido. Agora, o futuro do ex-guerrilheiro fica nas mãos do Executivo.

Guzmán foi o fundador do partido União Democrata Independente (UDI), estreitamente ligado à ditadura de Pinochet.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host