Itália candidata novamente obras de Giotto na Unesco

ROMA, 10 JAN (ANSA) - A Itália irá candidatar para a lista da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) das obras que são Patrimônio da Humanidade os afrescos da Capella degli Scrovegni em Pádua, realizados por Giotto entre os anos de 1304 e 1306, informou ontem (9) o ministro italiano dos Bens Culturais e Turismo, Massimo Bray.   


Para muitos historiadores e críticos de arte as pinturas de Giotto representam o nascimento da pintura moderna, antecessora do Renascimento que chegará um século e meio depois.   


O ministro enviará mais uma vez a proposta para a Unesco apresentada desde 1996 sem ter recebido até agora uma resposta positiva por parte do corpo de júri que declara todo ano as novas obras merecedoras da qualificação de Patrimônio da Humanidade.   


A Itália é o país com mais locais mencionados na lista da organização por possuir o maior acervo de obras de arte existente no mundo, cerca de 75% de todas as obras registradas no planeta, e é por isso talvez que a Unesco é resistente em incluir mais um local na Itália.   


Bray lembra que para apresentar uma candidatura é necessário que o país que a hospeda apresente também um programa de gestão da obra de arte e ele destaca que seu ministério financiou no final do século passado uma nova restauração dos afrescos com um investimento de 17,3 milhões de euros, provenientes dos lucros da Loteria Nacional.   


Além dos afrescos de Giotto, o governo italiano deseja um reconhecimento artístico pela pintura paduana do século XIV presente em várias igrejas e prédios históricos da cidade do norte do país e que há muito tempo faz parte de um popular circuito turístico para os amantes de arte.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos