Análise- Coreia do Norte, uma década de testes e sanções

ROMA, 6 JAN (ANSA) - O quarto teste nuclear anunciado hoje (6) pela Coreia do Norte pode resultar no endurecimento das sanções já impostas contra Pyongyang. A primeira retaliação foi anunciada em 2006, há exatamente 10 anos, pelas Nações Unidas. Na última década, os programas nucleares e missilísticos da Coreia do Norte também foram sancionados pela União Europeia (UE) e por outros países de maneira unilateral. Confira a lista: ONU - No âmbito do Conselho de Segurança da ONU, o organismo impôs e ampliou sanções em quatro ocasiões relacionadas ao programa nuclear: após os testes de mísseis de julho de 2006; depois dos testes nucleares de outubro de 2006 e de maio de 2009; e em seguida ao lançamento de um foguete em dezembro de 2012. As sanções adotadas pelo CS valem para todos os membros do organismo e envolvem o embargo à venda, fornecimento e transferência de matérias bélicos à Coreia do Norte, além da proibição de obter este tipo de material do país. Também são proibidas a importação e exportação de itens de tecnologia e artigos de luxo norte-coreanos. As sanções também congelaram fundos e recursos do país e proibiram que pessoas originárias da Coreia do Norte ingressem em certas nações. UE- Assim como a ONU, a União Europeia também adotou medidas contra o regime, criando uma lista de produtos vetados para comercialização com o país. Outra sanção recai sobre a entrada e circulação pelo bloco de personalidades ligadas a Pyongyang. EUA - Unilateralmente, os Estados Unidos também adotaram sanções contra o país asiático. A maioria prevê a apreensão de bens de todas as pessoas e entidades ligadas ao tráfico de armas com a Coreia do Norte, à lavagem de dinheiro, contrabando e tráfico de drogas. Qualquer importação de bens, serviços e tecnologias precisam ter autorização prévia de Washington. Coreia do Sul - Principal desavença da Coreia do Norte na região, Seul vetou as trocas comerciais com o seu vizinho após o naufrágio de uma corveta sul-coreana em março de 2010 por Pyongyang. Japão - O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, decidiu adotar medidas de maneira independente contra a Coreia do Norte. Uma delas se refere ao controle imigratório de funcionários de uma organização pró-Pyongyang no Japão. Austrália - A Austrália impôs sanções financeiras, como restrições a transações a indivíduos ou companhias relacionados aos programas nucleares do regime. O país também não concede vistos de turismo a cidadãos norte-coreanos e proíbe o acesso de navios do país aos seus portos. Testes - Ao todo, a Coreia do Norte já realizou quatro testes nucleares oficias. O primeiro ocorreu em 9 de outubro de 2006, com a detonação de um dispositivo. O país chegou a avisar a comunidade internacional seis dias antes que tinha intenção de fazer testes. O segundo teste nuclear aconteceu em 25 de maio de 2009 e a região escolhida para os exercícios ficava a 375 quilômetros a nordeste da capital do país. O terceiro teste veio em 12 de fevereiro de 2013. De acordo com a agência local de notícias, o teste atômico foi subterrâneo e envolvia uma bomba nuclear em miniatura.   

Mísseis - Já os testes de mísseis da Coreia do Norte ocorreram em 1993, 2006, 2009 e 2014. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos