Governo Renzi estuda descriminalizar imigração clandestina

ROMA, 08 JAN (ANSA) - O governo do primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, de centro-esquerda, estaria preparando um decreto para eliminar o crime de imigração clandestina da legislação do país.   

O delito foi introduzido em agosto de 2009, durante um dos mandatos do conservador Silvio Berlusconi, e prevê multas de 5 mil a 10 mil euros para as pessoas condenadas por entrar ou permanecer ilegalmente em território italiano, além da sua expulsão imediata.   

No entanto, a descriminalização da imigração clandestina enfrenta forte resistência dentro do próprio gabinete de Renzi, que é fruto de uma inusitada aliança com o partido Nova Centro-Direita (NCD), liderado pelo ministro do Interior Angelino Alfano, um ex-aliado de Berlusconi.   

"A revogação do crime de imigração clandestina transmitiria à opinião pública uma mensagem negativa, em um momento bastante particular para a Itália e a Europa", declarou Alfano nesta sexta-feira (8), acrescentando estar ciente de que "vozes muito respeitáveis" apresentam argumentos tecnicamente válidos em favor da descriminalização.   

Uma delas é a do procurador nacional antimáfia e antiterrorismo, Franco Roberti. Em entrevista ao jornal "la Repubblica", o magistrado disse que a imigração clandestina "é um obstáculo às investigações" e até o momento não teve um "efeito dissuasivo".   

"Com a descriminalização, será mais fácil identificar e pegar os traficantes de seres humanos", ressaltou.   

Já o governador da Lombardia, Roberto Maroni, um dos principais expoentes do partido de extrema-direita Liga Norte, declarou que um eventual decreto do governo nesse sentido seria "coisa de louco". "Teremos que nos preparar para a invasão", afirmou. Em 2015, 153.052 imigrantes ilegais desembarcaram em solo italiano via Mediterrâneo em busca de refúgio, enquanto outros 2,9 mil morreram tentando completar a travessia.   

Na última quinta-feira (7), o presidente da Itália, Sergio Mattarella, de centro-esquerda, defendera que a bandeira do país também é símbolo dos "novos cidadãos italianos", em clara referência aos milhares de estrangeiros que chegam ao seu território todos os anos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos