Após VW, Renault é alvo de operação antifraude

ROMA, 14 JAN (ANSA) - Após o escândalo envolvendo a montadora alemã Volkswagen, a Renault foi alvo de uma busca nesta quinta-feira (23) em seus escritórios de Lardy, realizada por agentes franceses antifraude. A operação tinha como meta fiscalizar unidades de controle de motores, o que indica que a empresa pode estar sendo investigada na França por suposta fraude em emissões de poluentes. "Eles levaram computadores pessoais de vários diretores", disse um funcionário da Renault.   

Com a notícia, as ações da Renault chegaram a cair 23% na Bolsa de Paris nesta quinta-feira, o que representa uma perda de 5,8 bilhões de euros em valor de mercado para a empresa. A montadora francesa confirmou que foi alvo de uma operação de busca e apreensão da polícia, mas assegurou que nenhum software fraudulento foi detectado em seus motores a diesel, como ocorreu no ano passado com a Volkswagen. De acordo com a Renault, as buscas se referem a testes aleatórios em 100 carros para verificar se outras fabricantes usam algum dispositivo fraudulento. Em 2015, a Volks admitiu ter burlado sistemas de controle ambientais para emissão de poluentes em mais de 11 milhões de veículos no mundo todo. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos