Maduro decreta 'estado de emergência econômica'

CARACAS, 15 JAN (ANSA) - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, decretou nesta sexta-feira (15) "estado de emergência econômica" por 60 dias para enfrentar a grave crise financeira vivenciada pelo país atualmente.   

A medida foi publicada no Diário Oficial, com entrada em vigor imediata, pouco antes de Maduro fazer seu primeiro informe anual de gestão em um Parlamento controlado pela oposição. Ela tem como objetivo "proteger os direitos sociais a educação, saúde, moradia e esporte de todos os venezuelanos".   

"Queremos transmitir tranquilidade ao povo. São medidas para protegê-lo, não prejudicá-lo", declarou o ministro de Economia Luis Salas. Segundo ele, o decreto ajudará a "mitigar os efeitos da inflação induzida, da especulação e do valor fictício das moedas".   

Com o "estado de emergência econômica", o Executivo poderá designar recursos especiais para diversas áreas, dispensar alguns trâmites burocráticos, executar ações "indispensáveis" para garantir o abastecimento do povo e adotar medidas para "proteger a moeda nacional".   

A Venezuela registra uma acentuada escassez de alimentos, produtos básicos e remédios e uma inflação galopante que, segundo economistas contrários ao chavismo, superou os 200% em 2015. Além disso, o país foi duramente afetado pela queda do preço do petróleo no mercado internacional, já que esse é o principal ativo da economia local. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos