ONU diz que fome matou 32 em um mês em Madaya, na Síria

Em Beirute

  • Reuters

Uma fonte do Programa Alimentar Mundial, agência humanitária ligada à ONU (Organização das Nações Unidas), disse que 32 pessoas morreram de fome nos últimos 30 dias na cidade síria de Madaya, sitiada por forças do regime de Bashar al Assad e do grupo xiita libanês Hezbollah, aliado do presidente.

A informação é da emissora árabe Al Jazeera e foi divulgada pouco depois de o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) ter revelado que um adolescente de 16 anos havia morrido por falta de alimentos no município. "Ele estava gravemente desnutrido", disse o órgão, que conseguiu entrar em Madaya para levar itens de primeira necessidade.

A cidade fica a apenas 25 quilômetros de Damasco, capital da Síria, e há meses vive uma grave crise humanitária. Nos últimos dias, circularam fotos e vídeos chocantes de pessoas desnutridas e padecendo frente à fome e ao frio. Atualmente, cerca de 40 mil civis estão "presos" no município sitiado.

Isolados pela guerra, sírios comem até terra e grama

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos