Suprema Corte analisará reforma imigratória de Obama

NOVA YORK, 19 JAN (ANSA) - A Suprema Corte de Justiça dos Estados Unidos examinará a legalidade dos decretos da reforma imigratória proposta pelo presidente Barack Obama, em novembro de 2014, para regularizar estrangeiros em situação ilegal.   

Os decretos afrouxam as regras e permitem que até cinco milhões de imigrantes em situação irregular - desde que tenham filhos norte-americanos e não possuam antecedentes criminais --- possam regularizar sua estadia no país.   

A iniciativa é vista pela oposição como uma anistia para estrangeiros que estão ilegalmente nos EUA, enquanto a Casa Branca defende que os decretos foram necessário porque o Congresso foi incapaz de legislar sobre o tema.   

As medidas da reforma, porém, estão paralisadas desde que um tribunal federal do Texas questionou sua constitucionalidade, alegando que Obama excedeu suas atribuições ao anunciar as medidas sem consultar o Congresso. A Suprema Corte concordou nesta terça-feira (19) em analisar o apelo do presidente para ressuscitar o plano de imigração. Se aprovada, a reforma poderá evitar a deportação de mais de quatro milhões de imigrantes, mas deverá ser implementada até o fim do mandato de Obama, em janeiro de 2017.   

Esta, porém, não será a primeira vez que os juízes decidirão sobre a constitucionalidade de uma ordem executiva ou uma lei promovida pelo mandatário. Em junho de 2015, a Corte também analisou o chamado "Obamacare", programa de seguro saúde. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos