Itália endurece punições a 'funcionários fantasmas'

ROMA, 21 JAN (ANSA) - O Conselho dos Ministros da Itália aprovou um decreto que estabelece punições mais rígidas para funcionários públicos que forem pegos falsificando sua presença no serviço e até para seus superiores imediatos.   

A medida foi acelerada pelo governo após dezenas de empregados da Prefeitura de Sanremo, no noroeste do país, terem sido flagrados assinando o ponto e indo embora logo em seguida. Daqui para frente, as pessoas que cometerem tal infração terão o trabalho e a remuneração suspensos dentro de até 48 horas.   

Além disso, o decreto torna mais rápido o processo para demitir esses funcionários, reduzindo o prazo máximo de 120 dias para um mês. Já os chefes desses colaboradores poderão ser até exonerados caso não denunciem os "empregados fantasmas". Hoje, a pena máxima é a de suspensão.   

Os servidores também estarão sujeitos a processo por "danos de imagem", com sentenças não inferiores a seis salários, além de juros e despesas judiciais. O decreto, que ainda precisará passar pelo aval do Parlamento, faz parte de uma ampla reforma coordenada pela ministra para a Simplificação da Administração Pública da Itália, Marianna Madia. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos