Desemprego na Itália volta a subir; mas economia retoma

ROMA, 2 FEV (ANSA) - O mercado de trabalho italiano desacelerou no fim do ano passado e fez a taxa de desemprego subir a 11,4% em dezembro, contra os 11,3% do mês anterior. De acordo com dados provisórios publicados nesta terça-feira (2) pelo Instituto Italiano de Estatísticas (Istat), apesar da desaceleração em dezembro, a taxa ainda permaneceu melhor que a registrada no mesmo mês de 2014. Os dados instáveis, com oscilações mensais, confirmam que, apesar estar se recuperando da crise de 2008, a economia italiana ainda é frágil. O número de italianos ativos caiu 21 mil unidades em relação a novembro (-0,1%), principalmente devido a uma redução de trabalhadores autônomos. Mas, mesmo com a contração, o mercado de trabalho italiano registrava 109 mil funcionários a mais em dezembro de 2015 do que no mesmo período de 2014. A boa notícia veio para os jovens, com a taxa de desemprego juvenil (entre 15 e 24 anos) registrando a mínima desde 2012, a 37,9%.   

Desde que assumiu o governo, em fevereiro de 2014, o primeiro-ministro Matteo Renzi colocou em prática uma série de reformas para estimular a retomada da economia italiana, uma delas envolvendo as leis trabalhistas, com incentivos fiscais e flexibilização de contratos para admissão de novos funcionários.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos